Boneca de Ossos

Título: Boneca de Ossos

Autora: Holly Black

Lançamento: #irado – 2014

Sinopse: Poppy, Zach e Alice sempre foram amigos. E desde que se conhecem por gente eles brincam de faz de conta – uma fantasia que se passa num mundo onde existem piratas e ladrões, sereias e guerreiros. Reinando soberana sobre todos esses personagens malucos está a Grande Rainha, uma boneca chinesa feita de ossos que mora em uma cristaleira. Ela costuma jogar uma terrível maldição sobre as pessoas que a contrariam.

Só que os três amigos já estão grandinhos, e agora o pai de Zach quer que ele largue o faz de conta e se interesse mais pelo basquete. Como o seu pai o deixa sem escolha, Zach abandona de vez a brincadeira, mas não conta o verdadeiro motivo para as meninas. Parece que a amizade deles acabou mesmo…

Mas, de repente, Poppy conta para os amigos que começou a ter sonhos com a Rainha – e também com o fantasma de uma menininha que não conseguirá descansar enquanto a boneca de ossos não for enterrada no seu túmulo vazio.

Então, Poppy, Zach e Alice partem para uma última aventura a fim de ajudar o fantasma da Rainha a encontrar o seu descanso eterno. Mas nada acontece do jeito que eles planejaram… A missão se transforma em uma jornada de arrepiar.

Será que a boneca é apenas uma boneca ou existe algo mais sinistro por trás desses fatos? Poppy está mesmo dizendo a verdade ou tudo isso não passa de um truque para que voltem a brincar juntos?

Se existe mesmo um fantasma, o que vai ser das crianças agora que elas estão nas suas mãos?

Onde encontrar: Amazon | Americanas | Book Depository | Livraria Cultura | Saraiva | Submarino

~~*~~

Eu sempre gostei de livros que são, claramente, para crianças e adolescentes, mas que fogem daquela imbecilidade de tratar criança como um ser estúpido e adolescentes como seres que não querem nada com nada. Boneca de Ossos é um desses livros!

Acompanhamos a história de um trio de amigos: Alice, Poppy e Zach, de 12 anos. Eles se conheceram alguns anos antes de quando começa o livro e formaram uma amizade bem forte. Brincam juntos todos os dias, inventando tramas mágicas e personagens característicos. A personagem mais marcante de suas histórias é a Grande Rainha, uma linda boneca de porcelana que é mantida trancada dentro de uma cristaleira. Cada um deles enfrenta um problema com suas famílias e encontram nas brincadeiras uma forma de escapar disso.

Temos um foco maior em Zach, o único menino do grupo. Ele adora inventar histórias e sente que poderia se tornar escritor quando crescer; por outro lado, enfrenta a pressão do pai para crescer e “virar um homem”. Zach é forçado a abandonar as brincadeiras que fazia com as meninas e decide cortar relações com elas, mas não lhes conta o por quê.

Poucos dias depois, de madrugada, Poppy e Alice aparecem embaixo da janela do quarto dele. Poppy diz ter descoberto que a Grande Rainha, na verdade, é receptáculo para o fantasma de uma garotinha que não descansará até ser enterrada no túmulo de sua família.  Depois de uma conversa, os três decidem que vão atrás de enterrar a tal da boneca.

Então começa nossa trama, acompanhando três crianças, no auge dos seus 12 anos, tendo a aventura de suas vidas!

O livro é genial em vários aspectos. O terror é construído de forma estupenda, não sendo algo forte demais para uma criança de 11 anos, nem estúpido demais para um adolescente de 15 ou uma adulta de 21. E ele também não é o aspecto mais importante da narrativa.

A autora desenvolve de forma genial os conflitos pelos quais a gente passa nessa fase de crescimento e desenvolvimento, onde a gente começa a se solidificar como pessoa, o despertar do interesse amoroso por outras pessoas e nossas relações com nossas famílias.

Foi uma verdadeira delícia ler esse livro. É bem curtinho, tem pouco mais de 200 páginas, a gente lê em um dia. Uma vez que a viagem deles começa, você simplesmente não consegue largar e precisa chegar no final e precisa chegar rápido. Mas, uma vez que você chega, fica morrendo de saudades. Sofri uma leve ressaca literária depois de Boneca de Ossos, porque eu me apeguei muito aos personagens.

De verdade, o livro vale muito a pena. Inclusive, o Natal tá logo aí e esse seria um baita presente pras crianças da sua família!


Então é isso, pessoal! Se vocês gostaram, sigam o blog pra mais conteúdo divertido assim, comentem aqui em baixo e compartilhem prezamigue verem. Se vocês não gostaram, façam tudo isso assim mesmo porque sim! Se vocês têm alguma sugestão, ou gostariam que eu falasse sobre alguma coisa, me digam nos comentários ou me mandem um e-mail (o endereço está ali na descrição, embaixo da minha foto divônica).

Um beijo e até a próxima!

Anúncios

A Menina que Roubava Livros

Título: A Menina Que Roubava Livros

Lançamento: Editora Intrínseca – 2007

Autor: Markus Zusak

Sinopse: A trajetória de Liesel Meminger é contada por uma narradora mórbida, surpreendentemente simpática. Ao perceber que a pequena ladra de livros lhe escapa, a Morte afeiçoa-se à menina e rastreia suas pegadas de 1939 a 1943. Traços de uma sobrevivente: a mãe comunista, perseguida pelo nazismo, envia Liesel e o irmão para o subúrbio pobre de uma cidade alemã, onde um casal se dispõe a adotá-los por dinheiro. O garoto morre no trajeto e é enterrado por um coveiro que deixa cair um livro na neve. É o primeiro de uma série que a menina vai surrupiar ao longo dos anos. O único vínculo com a família é esta obra, que ela ainda não sabe ler.

Assombrada por pesadelos, ela compensa o medo e a solidão das noites com a conivência do pai adotivo, um pintor de parede bonachão que lhe dá lições de leitura. Alfabetizada sob vistas grossas da madrasta, Liesel canaliza urgências para a literatura. Em tempos de livros incendiados, ela os furta, ou os lê na biblioteca do prefeito da cidade.

A vida ao redor é a pseudo-realidade criada em torno do culto a Hitler na Segunda Guerra. Ela assiste à eufórica celebração do aniversário do Führer pela vizinhança. Teme a dona da loja da esquina, colaboradora do Terceiro Reich. Faz amizade com um garoto obrigado a integrar a Juventude Hitlerista. E ajuda o pai a esconder no porão um judeu que escreve livros artesanais para contar a sua parte naquela História. A Morte, perplexa diante da violência humana, dá um tom leve e divertido à narrativa deste duro confronto entre a infância perdida e a crueldade do mundo adulto, um sucesso absoluto – e raro – de crítica e público.

Onde encontrar: Amazon | Americanas | Book Depository | Livraria Cultura | Saraiva | Submarino

~~*~~

Vamos falar desse amorzinho? Então vamos!

O mais peculiar desse livro é a narradora. Afinal, não é sempre que a Morte se propõe a contar uma história.

Depois de falhar na captura sua alma, a Morte decide acompanhar os passos da menina Liesel Meminger, uma garota de 11 anos se não me engano. A menina, a primeira vista, não parece nada demais. Sua mãe, uma comunista perseguida pelo nazismo, deixou a filha aos cuidados de um casal numa cidade pobre do interior alemão. Durante a viagem, o irmãozinho de Liesel (que também seria adotado, pelo mesmo casal) morre e, durante o enterro, ela descobre na neve um livro. Apesar de não saber ler, ela o guarda e este será o primeiro de uma série de livros que a menina leva.

Sua família adotiva é formada por Rosa e Hans Hubermann – ela, muito rígida, séria e até mesmo grossa. Tem costume de bater na menina quando ela lhe tira do sério, mas faz o melhor que pode para que a garota viva bem. Ele, um pintor despreocupado, muito doce e carinhoso, sabe levar a mulher muito bem e se afeiçoa bastante à Liesel, sendo, inclusive, quem a ensina a ler.

Podemos acompanhar a transformação da Alemanha durante os primórdios da guerra, ao mesmo tempo que vemos Liesel aprender a ler, se destacar no time de corrida de sua escola e roubar mais alguns livros – que acabam se tornando sua paixão.

O livro todo é muito singelo. A Morte narra com calma e paciência, trazendo reflexões incríveis e nos mostrando toda uma nova perspectiva de mundo. A gente vai, mesmo sem perceber, se afeiçoando muito à Liesel e à sua maneira de lidar com a dura realidade: o mundo como ela conhecia está desmoronando, se tornando algo ruim e não há nada que ela possa fazer.

Chega a ser um tanto desesperador, porque vamos observar a construção da Alemanha nazista, pois o livro começa em 1939, e, mesmo sabendo que não tem como mudar o que vai acontecer (afinal, né, História), nós ficamos com o coração na boca querendo que algo faça aquilo parar.

Muita coisa ruim acontece, desde um judeu fugido até um bombardeio que destrói nossos corações e muitas outras coisas, mas não vou contar porque é spoiler e o crescimento precoce de uma criança que precisou amadurecer rápido demais, pois seu país deu início a uma guerra. E em uma guerra não há vencedores.

Apesar de tudo de ruim que acontece, a história é linda e a gente é carregado pra longe cada vez que vira a página! Eu aprendi muita coisa com esse livro e o recomendo sempre, porque a gente o termina completamente transformada!


Então é isso, pessoal! Se vocês gostaram, sigam o blog pra mais conteúdo divertido assim, comentem aqui em baixo e compartilhem prezamigue verem. Se vocês não gostaram, façam tudo isso assim mesmo porque sim! Se vocês têm alguma sugestão, ou gostariam que eu falasse sobre alguma coisa, me digam nos comentários ou me mandem um e-mail (o endereço está ali na descrição, embaixo da minha foto divônica).

Um beijo e até a próxima!

O Duque e Eu

Título: Os Bridgerton I – O Duque e eu

Lançamento: Editora Arqueiro – 2013

Autora: Julia Quinn

Sinopse: Simon Basset, o irresistível duque de Hastings, acaba de retornar a Londres depois de seis anos viajando pelo mundo. Rico, bonito e solteiro, ele é um prato cheio para as mães da alta sociedade, que só pensam em arrumar um bom partido para suas filhas.

Simon, porém, tem o firme propósito de nunca se casar. Assim, para se livrar das garras dessas mulheres, precisa de um plano infalível.

É quando entra em cena Daphne Bridgerton, a irmã mais nova de seu melhor amigo. Apesar de espirituosa e dona de uma personalidade marcante, todos os homens que se interessam por ela são velhos demais, pouco inteligentes ou destituídos de qualquer tipo de charme. E os que têm potencial para ser bons maridos só a veem como uma boa amiga.

A ideia de Simon é fingir que a corteja. Dessa forma, de uma tacada só, ele conseguirá afastar as jovens obcecadas por um marido e atrairá vários pretendentes para Daphne. Afinal, se um duque está interessado nela, a jovem deve ter mais atrativos do que aparenta.

Mas, à medida que a farsa dos dois se desenrola, o sorriso malicioso e os olhos cheios de desejo de Simon tornam cada vez mais difícil para Daphne lembrar que tudo não passa de fingimento. Agora ela precisa fazer o impossível para não se apaixonar por esse conquistador inveterado que tem aversão a tudo o que ela mais quer na vida.

Onde encontrar: Amazon | Americanas | Book Depository | Livraria Cultura | Saraiva | Submarino

~~*~~

Julia Quinn é A sensação do momento na literatura de época, já foi até chamada de a Jane Austen da nossa geração. Deixo para vocês a tarefa de confirmar ou não essa afirmação.

Mais uma resenha linda pra vocês, novamente em vídeo! Espero que vocês gostem, porque essa série é, atualmente, minha queridinha! ❤

Cliquem AQUI para ver a resenha, seus lindos!

Bêjas.

A Resposta

Título: A Resposta

Autora: Kathryn Stockett

Lançamento: Bertrand Brasil – 5ª Edição – 2009

Sinopse: Skeeter, 22 anos de idade, acabou de voltar para a casa dos pais após graduar-se na universidade Ole Miss. Possui um diploma, mas o ano é 1962, a cidade é Jackson, no Mississippi, e sua mãe não vai sossegar até ver a filha com um anel de noivado no dedo. Normalmente Skeeter encontraria consolo junto de sua adorada Constantine, a empregada da casa e a mulher que a criou, mas Constantine desapareceu e ninguém parece disposto a contar a Skeeter para onde ela foi.

Aibileen é uma empregada negra, mulher sábia e imponente, que já está criando sua décima sétima criança branca. Algo mudou dentro dela depois da perda do filho, morto enquanto seus patrões faziam vista grossa. Aibileen é devotada à menininha de quem cuida, apesar de saber que ambas correm um sério risco de se magoarem nessa relação.

Minny é a melhor amiga de Aibileen. Cozinha como ninguém, mas não consegue controlar a própria língua e, por isso, perde um emprego atrás do outro. Minny finalmente encontra serviço trabalhando para uma mulher que acabou de chegar à cidade e por conta disso não sabe da reputação da criada. Mas a nova patroa de Minny tem seis próprios segredos.

Embora diferentes umas das outras, essas mulheres vão unir forças num projeto clandestino que colocará todas em perigo. Por quê? Porque estão se sentindo sufocadas pelos limites e pelas regras que as norteiam e pela época em que vivem. E também porque limites, algumas vezes, foram feitos para serem ultrapassados.

Onde encontrar: Livraria Cultura | Saraiva | Submarino | Americanas | Amazon

~~*~~

A resenha deste livro vai ser um pouco diferente, porque eu a lancei em vídeo! Então ceis tudo clica AQUI pra dar uma olhada em como ficou!

Uma pequena errata: no vídeo, eu digo que o livro está disponível apenas no Estante Virtual. Embora ele realmente esteja disponível , os links acima mostram que eu tava bem da errada! Então vocês podem comprar o livro novinho, com cheirinho de delícia e todo fofo se quiserem! Inclusive, fica a dica, no Submarino está mais barato! ^^


Então é isso, pessoal! Se vocês gostaram, sigam o blog pra mais conteúdo divertido assim, comentem aqui em baixo e compartilhem prezamigue verem. Se vocês não gostaram, façam tudo isso assim mesmo porque sim! Se vocês têm alguma sugestão, ou gostariam que eu falasse sobre alguma coisa, me digam nos comentários ou me mandem um e-mail (o endereço está ali na descrição, embaixo da minha foto divônica).

Um beijo, pensantes, e até a próxima ❤

Fazendo Meu Filme 1 – A Estréia de Fani

Título: Fazendo Meu Filme 1 – A Estréia de Fani

Autora: Paula Pimenta

Lançamento: Editora Gutemberg – 2ª Edição – 2009

Sinopse: Tudo muda na vida de Fani quando surge a oportunidade de fazer um intercâmbio e morar um ano em outro país. As reveladoras conversas por telefone ou MSN e os constantes bilhetinhos durante a aula passam a ter outro assunto: a viagem que se aproxima.

“Fazendo meu filme” nos apresenta o fascinante universo de uma menina cheia de expectativas, que vive a dúvida entre continuar sua rotina, com seus amigos, familiares, estudos e seu inesperado novo amor, ou se aventurar em um outro país e mergulhar num mundo cheio de novas possibilidades.

Onde encontrar: Livraria Cultura | Saraiva | Submarino | Americanas | Amazon

~~*~~

Foi através desse livro que eu soube da existência da Paula Pimenta e, invariavelmente, foi o primeiro livro dela que eu li.

E me apaixonei.

Fazendo Meu Filme 1 – A Estréia de Fani” nos apresenta à rotina de Estefânia, uma mineirinha de 16 anos, típica adolescente brasileira de classe média, que adora cinema, sair com suas amigas e ficar em casa de bobeira vendo filme.

Começamos com coisas bem simples, como conhecendo a família e os amigos dela, sua rotina de casa-escola-academia-casa, sua relação com as pessoas que ela ama e como ela concilia suas tarefas.

Nos apegamos às suas amigas e à Leo, o mais adorável dos melhores amigos, e nos divertimos muito com as situações que eles passam e as confusões que aprontam.

Quando surge a oportunidade de fazer um intercâmbio, a vida de Fani vira de cabeça pra baixo. Ela começa a sentir o medo de enfrentar coisas novas, de sair de casa e passar um ano em outro país, além da saudade dos amigos e de sua família.

O livro é muito gostoso de ler e é muito fácil se identificar com a protagonista. Por ser um livro nacional, a gente se vê muito nas situações apresentadas durante a narrativa – independentemente da sua idade, afinal, todos já fomos (ou somos) adolescentes. E a gente vivia aprontando nessa fase.

A Paula escreve de um jeito bem suave, bastante pertinente à realidade e à mentalidade de sua protagonista, então o livro flui que é uma beleza! Eu terminei em uma noite.

Apesar de bem simples, é muuuito adorável e eu recomendo bastante, principalmente pra gente que, como eu, adora um bom livro juvenil!


Então é isso, pessoal! Se vocês gostaram, sigam o blog pra mais conteúdo divertido assim, comentem aqui em baixo e compartilhem prezamigue verem. Se vocês não gostaram, façam tudo isso assim mesmo porque sim! Se vocês têm alguma sugestão, ou gostariam que eu falasse sobre alguma coisa, me digam nos comentários ou me mandem um e-mail (o endereço está ali na descrição, embaixo da minha foto divônica).

Um beijo, e até a próxima! ❤